Loterias brasileiras se preparam para um novo período de expansão

Buscando novos negócios de loteria para trabalhar em modelo instantâneo no Brasil, a IGT e a Scientific Games encontraram um obstáculo em relação ao seu parceiro local, perdendo o prazo.

Os negócios estavam abertos para conseguir engajar novamente com esse tipo de processo, por mais que os novos desafios legais precisassem de uma nova avaliação, adicionando também os movimentos do Brasil.

Em relação as outras loterias, o andamento segue normal, possibilitando ainda que para os sorteios mais populares contassem com o simulador lotofacil inteligente para garantir mais acertos aos participantes.

Loteria instantânea não deu segmento no Brasil

O Brasil acaba por estar oscilando entre decidir se deve legalizar esse tipo de jogo, o que percebe que há obstáculos cada vez menores, mas que incomodam no caminho para um progresso. 

Enquanto não há uma parceria com o país, o prazo vai acabando e a corrida está fadada a falhar. 

Ainda houve uma oferta para que a loteria instantânea no Brasil, com a parceria INternational Game Technology junto com a Scientific Games, mas que não foi aceita.

O varejista que conseguiu ganhar a licitação para poder distribuir e dar a assistência local não foi capaz de entregar o contrato dentro do prazo que havia sido estipulado. 

Em relação a privatização dessa modalidade de sorteios, demonstrou que foi um passo muito importante para que as duas empresas encontrassem dentro do mercado uma maneira de se lançar em loterias.

Retomar projeto

As duas empresas internacionais conseguiram conquistar a concessão conjunta no ano passado, precisando ainda finalizar o contrato junto com a Caixa Econômica Federal.

Durante esse período, desde o ano passado, as empresas já entraram em contato com a Caixa, conseguindo negociar um contrato que foi um sucesso e deve seguir dando novas notícias. 

No entanto, por motivos que não foram especificados, a Caixa não pode autorizar a sua execução dentro do prazo que foi concedido.

As duas empresas internacionais conseguiram uma prorrogação em relação ao prazo de concessão, mas esse pedido acabou não dando certo, pois sem ter uma rede de distribuição, as empresas não podem passar para a próxima fase.

Mudanças em relação as loterias brasileiras

Ainda para esse ano, houve uma questão judicial em que o Brasil quer ter o monopólio da loteria dentro de um governo inconstitucional.

De acordo com o Tribunal, as loterias são um serviço público e dessa maneira, não podem sofrer a interferência de um governo federal.

Por isso, todos os estados procuram uma maneira de desenvolver e estabelecer a sua própria estrutura para conquistar uma solução de loteria. 

Ainda foi argumentado que essa decisão entre as empresas de fora deveria passar por uma avaliação, devendo pensar em uma maneira de implementar esse modelo de operações dentro do Brasil.

No entanto, por mais que houvesse complicações, ainda há um desejo em retomar o processo atual, junto também de um cenário em que as apostas esportivas receberam aval para serem privatizadas. 

Dessa forma, é possível esperar que o cenário de loterias do Brasil possa seguir avançando com a chegada de grandes nomes.